Sua Pele

26.08.2010

Gotinhas que salvam

Foto: Banco de Imagens Stock.xchng

Cada vez mais, notamos no mercado os cosméticos concentrados em gotas.

Quais as vantagens deles? Realmente funcionam?

Atualmente, com o avanço da tecnologia na indústria farmacêutica, as formulações dos cosméticos vêm com altas concentrações de ativos ricos em antioxidantes e, consequentemente, apresentam um poder de rejuvenescimento e revitalização superior ao dos demais produtos.

Os princípios ativos mais encontrados em gotas são nutrientes e antioxidantes como a Vitamina C, outros antioxidantes de extratos vegetais, hidratantes como aquaporine e ácido hialurônico, e firmadores como o silício orgânico.

Essas preciosas gotas podem ser aplicadas no rosto todo como um complemento à ação de outras fórmulas ou em áreas específicas como nos sulcos, na lateral dos olhos para suavizar os temidos “pés de galinha”, ou na região da testa para diminuir ou conter as linhas de expressão.

Além do rosto, encontramos bons resultados também na região do pescoço.

Portanto, esses cosméticos em gotas são fortes aliados no combate ao envelhecimento, desde que aplicados conforme as orientações de seu dermatologista. 

Por Equipe Corpo em Evidência às 10h08

19.08.2010

Os vilões da beleza

Embora sejam fabricados para proporcionarem ou realçarem a beleza, nem sempre os cosméticos causam os efeitos desejados. No lugar da boa aparência, surge a incômoda alergia.

De acordo com Dr. Marcelo Bellini, as principais queixas são de produtos infantis e capilares, como alisantes e colorantes. Em seguida, estão os cosméticos para unhas, depilatórios, pastas de dentes, enxaguatórios bucais, cremes faciais e desodorantes.


O principal componente que causa reações alérgicas são as fragrâncias (perfumes), muitas vezes extraídas de plantas, flores ou mesmo sintéticas. “À medida que se criaram fragrâncias mais voláteis e em maiores concentrações, o número de queixas aumentou”, avisa o dermatologista.

Conservantes como os parabenos (metilparabeno e propilparabeno) e a amônia quaternária são muito importantes para impedir contaminações nos cosméticos, e evitar o aparecimento e a proliferação de fungos, bactérias e microorganismos. Mas também são causadores de alergia. “A alternativa é o uso dos conservantes naturais e orgânicos”, aconselha Dr. Marcelo.


Atenção redobrada para cosméticos que tenham formol na composição. Embora seja um conservante, está atualmente banido do Brasil e proibido pela ANVISA em cremes e loções, inclusive nos produtos capilares.

Atualmente, vemos escrito nas embalagens “dermatologicamente testado”, “não irrita” ou “hipoalergênico”. O que isso quer dizer? Conforme orienta Dr. Bellini, significa que o produto tem baixa potência/risco de causar alergias. No entanto, não existem cosméticos cem por cento seguros ou “antialérgicos”, como dizem no jargão popular. São realizados diversos testes e não existem queixas frequentes ou significativas de irritações ou alergia.

“Devemos considerar que podem surgir alergias também por aplicação inadequada, por exemplo, quando se aplica creme facial na região dos olhos onde a concentração dos ingredientes precisa ser menor”, alerta o médico.


Ele ainda completa: “Uma queixa bastante comum é de produtos aplicados na região genital”.

Dr. Marcelo também orienta que é importante observar como os cosméticos são armazenados em casa, longe da exposição ao sol, da umidade e do calor. Essas condições podem provocar alterações na consistência, cheiro e qualidade dos produtos e, mesmo dentro do prazo de validade, desencadear as alergias e até mesmo infecções.

Existem muitos pacientes com alergias a múltiplos produtos, independentemente do armazenamento e da manipulação. Nesses casos, o ideal é tentar detectar, através de testes alérgicos (testes de contato), quais princípios ativos provocam a alergia. E então procurá-los nos rótulos e afastar-se dos produtos que os contenham, sempre com a orientação de um médico.

Fotos: Banco de Imagens Stock.xchng

Por Equipe Corpo em Evidência às 17h36

12.08.2010

Lábios de Angelina Jolie

Dr. Marcelo Bellini ensina como combater as temíveis rugas ao redor da boca

Para a maioria das mulheres, sair de casa sem um batom é o mesmo que sair nua. Porém, não adianta usar as cores da moda e com elas aparecerem ou salientarem o “código de barras”, ou melhor, as indesejáveis rugas ao redor da boca.


De acordo com o Dr. Marcelo Bellini, dermatologista e diretor da Clínica Corpo em Evidência, esse quadro tem sido cada vez mais frequente e precoce, sobretudo em mulheres que fumam ou que se expõem ao sol sem a devida proteção. Segundo o médico, a área dos lábios possui uma musculatura denominada orbicular, composta de feixe de fibras que, quando forçado com a movimentação labial constante, resulta em linhas ou rugas.

No consultório, o primeiro teste é avaliar o grau de força dessa musculatura pedindo ao paciente para fazer bico ou assobiar.

Se as rugas forem muito intensas, o tratamento indicado é a aplicação de toxina botulínica em pequeninas quantidades para não afetar a fala, a mastigação ou o consumo de líquidos. A toxina botulínica pode ser aplicada em rugas superiores ou inferiores dos lábios, em uma única sessão e com duração de três a quatro meses. “O tempo de duração do resultado é um pouco menor em relação às outras regiões nas quais o botox é aplicado, pois a musculatura ao redor dos lábios tem grande movimentação”, ressalta o dermatologista.

Caso existam somente rugas ou elas insistirem em permanecer mesmo após a toxina botulínica, entra em cena o preenchimento com ácido hialurônico, o queridinho dos dermatologistas. Basta apenas uma sessão   para exibir lábios perfeitos por seis a oito meses. No entanto, se as linhas forem muito profundas e em várias direções, a melhor opção é o uso do laser de CO2 (gás carbônico) fracionado, que destrói a superfície da pele e estimula a renovação celular, resultando num aspecto mais uniforme devido ao estímulo da produção de colágeno. São necessárias uma ou duas sessões, com intervalo de um mês. “Porém, o paciente não pode se expor ao sol por dois meses”, recomenda Dr. Marcelo.

Outra orientação importante é parar de fumar.

Afinal, de nada adianta investir em tratamentos que deixem a boca bonita e sensual se, além de comprometer todo o trabalho realizado pelo dermatologista, o cigarro deixa mau cheiro e prejudica a saúde. 

Fotos: Banco de Imagens Stock.xchng

Por Equipe Corpo em Evidência às 09h54

05.08.2010

QUIZ: Mitos e verdades sobre as espinhas

Elaboramos um QUIZ para testar o quanto você sabe sobre as temidas espinhas!

Responda as perguntas abaixo e, ao final, confira as respostas dadas pelo Dr. Marcelo Bellini, dermatologista.


        1. Comer chocolate dá espinhas?

        a) Sim

        b) Não

        c) Depende


        2. Qualquer cosmético pode causar acne?

        a) Sim

        b) Não

        c) Talvez

 


       3. Usar pasta de dente ou pomada de bebê

       seca as espinhas?

       a) Sim

       b) Não

       c) Depende

 

        4. A masturbação dá acne?

        a) Sim

        b) Não

        c) Talvez

 

        5. O sol melhora a acne?

        a) Sim

        b) Não

        c) Depende

 

Respostas:

1. Alternativa c: Depende. Não existem trabalhos científicos que façam correlação entre o chocolate e a acne. No entanto, chocolate em excesso, por apresentar gordura saturada e mais açúcar, pode estimular a glândula sebácea a produzir acne, principalmente em pessoas de pele sensível.

2. Alternativa c: Talvez. Cosméticos que não sejam oil-free podem obstruir os poros e causar a acne. O mesmo vale para filtros solares. Opte por géis e loções sem óleo, sobretudo se a pele for mista ou oleosa.

3. Alternativa a: Sim. Mas podem causar alergias e irritações. Além disso, podem também obstruir os poros e provocar novas lesões de acne.

4. Alternativa b: Não. Não existe nenhuma correlação entre a masturbação e a acne.

5. Alternativa c: Depende. Um pouco de sol, de manhã cedo ou ao final da tarde, pode ter um efeito secativo. Porém, o excesso de exposição solar estimula a glândula sebácea e, consequentemente, surgem as temidas espinhas.

Fotos: Banco de Imagens Stock.xchng

Por Equipe Corpo em Evidência às 20h38

Ir para UOL Saúde Ir para UOL Mulher

Sobre o autor

Dr. Marcelo
M. Bellini

  • Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
  • Membro da Academia Americana de Dermatologia.
  • Professor colaborador do Hospital do Servidor Público Municipal
  • CRM 76.313 – SP
  • Site: www.marcelobellini.com.br

Sobre o blog

Bem-vindo a um novo espaço com informações, novidades e dicas sobre dermatologia e estética para homens e mulheres.

Postagens frequentes e interativas. Participe! Sugira novos temas!